segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Disfarces Mais Comuns de Ladrões de Condomínios

O Disfarce Como Entram Como Evitar
Funcionários de Concessionárias de Serviços Públicos Alegam ter de fazer reparos dentro de algumas unidades, ou no caso do carteiro, ter de entregar em mãos determinada correspondência. - Pedir crachá com foto;
- Não permitir a entrada nas unidades, se o serviço não foi solicitado pelo morador.
Oficial de Justiça ou Advogado Procuram forçar a entrada no condomínio sem se identificar, ou apresentando documentos falsos. - Orientar o porteiro para não mudar os procedimentos de segurança de acordo com a aparente autoridade de quem quer que seja. Só permitir a entrada se o morador autorizar.
Banhistas Casos no Rio de Janeiro. Geralmente em dupla, de sunga e chinelo invadem o prédio e levam o produto do furto em uma mochila. - O porteiro tem que estar atento e conhecer os moradores do prédio. Não abrir o portão para estranhos antes de obter autorização da unidade a que se dirigem.
O “bem vestido” - Homem de terno entra a pé pela entrada de pedestres ou pela garagem, quando um morador chegava de com seu carro;
- O porteiro não desconfia de nada porque o homem está bem-vestido;
- Logo em seguida é rendido pelo invasor, que o obriga a abrir o portão para seus comparsas.
- Orientar o porteiro para não mudar os procedimentos de segurança de acordo com as vestimentas das pessoas ou aparência de status social.
O “Conhecido” - Aproveita-se da entrada de uma pessoa no prédio para “pegar uma carona” no portão aberto dos pedestres. - Outra vez, vale a atenção do porteiro. Se ficar na dúvida se conhece ou não a pessoa que entrou, deve abordá-la e perguntar para que unidade se dirige.
De Carro - Embicam o carro na garagem e buzinam;
- Como “passageiros” de veículos de entrega que entram na garagem.
- O porteiro deve ser extremamente rigoroso na identificação do carro e do motorista. Jamais abrir o portão para veículos que não se identificam.
Funcionário de Instituição de Caridade - Caso relatado no Rio. O ladrão tinha uma lista com pessoas que frequentemente faziam doações a instituições, e anunciou o apartamento e o nome de uma senhora que queria “visitar”. A condômina autorizou a entrada e foi assaltada. - Confirmar se o morador requisitou a presença do funcionário. Se não, não permitir a entrada, mesmo que o morador autorize.
Corretor de Imóveis - Bem vestido, em geral num grupo de dois ou três, apresenta-se como corretor de imóveis e diz que vai visitar determinado apartamento. - Confirmar se o morador requisitou a presença do corretor. Se não, não permitir a entrada, mesmo que o morador permita.
- Alertar porteiros para não deixar desconhecidos entrarem, mesmo que estejam “bem vestidos”.
“Dona Ana” - Apresenta-se na portaria e diz que vai no apartamento da “Dona Ana”. Como este é um nome muito comum, alguns porteiros têm caído no golpe. - Só permitir a entrada após autorizado pelo morador.
Entregador de Encomendas (pizzas, flores, cestas de café da manhã e outros) - De dois modos:
1º Diz que vai subir em determinada unidade para entregar;
2º Chama um condômino ou um empregado seu para receber, e o rende assim que a porta é aberta.
- Não permitir a subida de entregadores às unidades, em nenhuma hipótese;
- Antes de abrir o portão para receber a encomenda, o porteiro deve confirmar se o respectivo condômino a aguarda;
- No caso de flores e presentes-surpresas, o melhor é que o próprio porteiro receba;
- Outra garantia é instalar um “passador” de encomendas, para não abrir o portão nestes casos.
Fonte: Portal SíndicoNet – www.sindiconet.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário